História do PNV

O PNV é o calendário de toma de vacinas recomendado pelas autoridades de saúde em Portugal. O PNV recomenda as vacinas que devem ser tomadas numa base de rotina, bem como as respectivas idades de vacinação. As vacinas incluidas no PNV são administradas universal e gratuitamente ao maior número possivel de cidadãos, não existindo barreiras para a sua administração, excepto, evidentemente, no caso em que um indivíduo tenha contra-indicações médicas.

As recomendações do PNV são revistas pela Comissão Técnica de Vacinação, sempre que tal é julgado necessário, ou por solicitação das autoridades de saúde. A história do PNV remonta a Outubro de 1965, ano em que o PNV teve início oficial em Portugal com a vacina da poliomielite. Presentemente, o PNV inclui vacinas para 12 agentes etiológicos de doenças graves, distribuídas por idades, como pode verificar no calendário.

História do PNV

Embora no início da década de 1960 já se administrassem dezenas de milhares de vacinas em Portugal, o PNV teve início oficial em Outubro de 1965 com a vacina para a poliomielite. A esta seriam acrescentadas, em 1966, a tosse convulsa, a difteria, o tétano e a varíola. O sarampo (em 1974), a rubéola e a parotidite (em 1987) foram as vacinas seguintes a ser introduzidas no PNV. Seguiu-se o Haemophilus influenza b e a hepatite B (Janeiro de 2000). Em Janeiro de 2006, o PNV recebeu a vacina conjugada contra o meningococo-C e, em 2008, a vacina contra o vírus do papiloma humano (HPV).

Prof. Manuel Carmo Gomes
Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa
Epidemiologista