Raiva

A raiva é uma doença do mundo animal que pode atingir o ser humano. É causada por um vírus que se transmite na maioria das vezes pela mordedura ou arranhadela de um animal contaminado, habitualmente o cão, mas também o gato, o macaco e o morcego podem ser transmissores.

A doença existe em todos os continentes excepto na Antártida e é muito mais frequente na Ásia, muito em particular na Índia. Há vários países, entre os quais Portugal, que não tem registo de casos de raiva animal ou humana há muitos anos. Assim se hipoteticamente se verificar algum caso no país ele será com grande probabilidade de importação: isto é alguém que foi mordido por um animal raivoso fora do país ou então em Portugal por um animal importado com a doença.

A doença manifesta-se pelo atingimento do sistema nervoso central e acaba inexoravelmente na morte. O tempo entre o contacto com o vírus da raiva e o início de manifestações clínicas pode ser superior a um ano, o que habitualmente nos dá tempo para podermos eficazmente prevenir a doença.

Para além da lavagem cuidada e imediata da ferida com água e sabão e aplicação de solução alcoólica, administra-se vacina específica e eficaz para a raiva (várias injecções ao longo de semanas) tão cedo quanto possível após o contacto com o animal potencialmente com raiva; nas situações de mordeduras múltiplas ou graves associa-se à vacina uma injecção de anticorpos contra o vírus da raiva (imunoglobulinas). Estas vacinas existem no país em Centros associados à Administração Regional de Saúde (ARS).

Em casos particulares, quando as pessoas se deslocam para países em que há risco elevado de raiva e exposição prolongada, como o caso dos veterinários e tratadores de animais, pode justificar-se fazer a vacina da raiva antes mesmo de se expor ao risco de mordedura, nas consultas de aconselhamento do viajante existentes no país; com este procedimento reduz-se o número de doses de vacina a administrar caso haja contacto com animal raivoso de 5 doses para 2 e não são necessárias as imunoglobulinas.

Dra. Cândida Abreu
Médica do Serviço de Doenças Infecciosas
Hospital S. João & Faculdade de Medicina do Porto