Febre tifóide

A febre tifóide é causada pela bactéria Salmonella Typhi. É uma doença grave, conhecida há milhares de anos, sendo responsável por grandes epidemias. Em textos antigos é descrita a possibilidade de causar loucura e morte. É uma doença exclusivamente humana. Actualmente a infecção é endémica em países em vias de desenvolvimento e está relacionada com más condições sanitárias, ausência de esgotos e higiene deficiente.

As bactérias são eliminadas nas fezes e urina, que são a fonte de contágio. A transmissão da infecção faz-se pelo consumo de água ou alimentos contaminados, higiene deficiente com contágio através de superfícies contaminadas com fezes, ou menos frequentemente, pelo contacto directo com pessoas portadoras da infecção.

Após a contaminação, as bactérias invadem o intestino e daí espalham-se pela corrente sanguínea para diversos órgãos. Os sintomas iniciais são febre alta, mau estar geral, cefaleias e dores abdominais; se não for tratada, pode progredir com envolvimento de múltiplos órgãos, falência geral até à situação de choque séptico e morte. O diagnóstico faz-se pelo isolamento da bactéria ou por um teste laboratorial conhecido como reacção de Widal.

O tratamento consiste no uso de antibióticos e de medidas gerais de suporte, dependentes da gravidade da situação clínica. É importante tratar os portadores sãos e isolar os doentes durante o período de contágio.

Dra. Ana Mouzinho
Assistente Hospitalar Graduada na Unidade de Infecciologia Pediátrica
Hospital Santa Maria, Lisboa