Cancro do colo do útero e HPV

O Vírus do Papiloma Humano (HPV) é um vírus que se transmite com muita facilidade por contacto sexual.

É uma infeção muito frequente em ambos os sexos – 75 a 80% dos indivíduos sexualmente ativos serão infetados ao longo da vida. Qualquer indivíduo pode ser infetado após o início da atividade sexual e não são necessários comportamentos de risco para se ser infetado.

A infeção desaparece espontaneamente em 90% dos casos, mas em 10% persiste e pode provocar lesão.

O HPV é responsável pelo desenvolvimento de um grande número de doenças, que afetam homens e mulheres: condilomas genitais, lesões pré-cancerosas e cancerosas do ânus, lesões cancerosas da cavidade oral e orofaringe, em ambos os sexos; lesões pré-cancerosas e cancerosas do colo do útero, vagina e vulva e lesões pré-cancerosas e cancerosas do pénis, na mulher e homem, respetivamente.

Doenças causadas pelo HPV na mulher:

  • Lesões pré-cancerosas do colo do útero e cancro do colo do útero
  • Lesões pré-cancerosas da vagina e cancro da vagina
  • Lesões pré-cancerosas da vulva e cancro da vulva
  • Lesões pré-cancerosas do ânus e cancro do ânus
  • Condilomas genitais

Doenças causadas pelo HPV no homem:

  • Lesões pré-cancerosas do ânus e cancro do ânus
  • Lesões pré-cancerosas do pénis e cancro do pénis
  • Condilomas genitais

Dos muitos tipos de HPV que são conhecidos, cerca de 40 infetam a região anogenital. Destes, alguns provocam lesões benignas e são designados por HPV de baixo risco. É o caso dos tipos 6 e 11 do HPV, que são responsáveis por 90% dos condilomas acuminados ou verrugas genitais. Estas lesões são facilmente transmissíveis e cada vez mais frequentes. Estes tipos de HPV são também responsáveis por cerca de 15 a 20% das lesões de baixo grau do colo do útero (displasia leve) e pela Papilomatose Juvenil Recorrente, que é uma doença rara, mas altamente incapacitante, caracterizada pela presença de papilomas na orofaringe. Existe uma vacina disponível que confere proteção específica contra os HPV 6 e 11.

Os tipos de HPV de alto risco (16, 18, 31, 45, 33, 26, 35, 39, 51, 52, 56, 58, 59, 66 e 68) podem provocar alterações celulares e originar lesões pré-cancerosas, que podem evoluir para cancro no prazo médio de 10 anos. Na mulher, estas lesões são mais comuns no colo do útero, mas podem aparecer na vulva, vagina e ânus. No homem podem ocorrer no ânus e, mais raramente no pénis.

Os tipos 16 e 18 são os mais frequentes e são responsáveis por cerca de 75% dos casos. As vacinas existentes no mercado são específicas na proteção contra os HPV 16 e 18.

A melhor estratégia de prevenção contra as doenças associadas aos tipos de HPV contidos na vacina é a vacinação. Na mulher, o exame ginecológico regular e a citologia (exame de Papanicolau) é uma estratégia complementar de prevenção específica do cancro do colo do útero. Contudo, para os outros tipos de cancro causados pelo HPV não existem programas de rastreio, pelo que se deve consultar o médico assistente caso surjam sintomas.

Dr. Daniel Pereira da Silva
Director do Serviço de Ginecologia do IPO Coimbra